Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

 VERSÃO em PDF

nossos parceiros

Visite nossa página no facebook

Criando um Personagem de RPG

Depois de um longo hiato, estou de volta com nossas postagens sobre a prática do RPG na escola.  Vamos dar prosseguimento, falando um pouco sobre a criação de personagens numa aventura de RPG.

Como em um filme, existem vários tipos de personagens dentro de uma aventura rpgística, a depender do grau de envolvimento deles com a história:

Personagens Principais:

Protagonistas – São os personagens dos jogadores. Toda a aventura desenvolve-se em torno deles e, por isso, merecem toda uma atenção especial. Quem são? O que fazem? Como são? Quais suas principais habilidades? Como adquiriram? Quais seus anseios? E seus medos? Essas são algumas perguntas que merecem ser respondidas para que seus jogadores possam interpretá-los com mais fidelidade. É comum, ao se criar um personagem protagonista, fazer uma breve dissertação sobre os hábitos do personagem, suas características físicas e psicológicas. Os rpgistas chamam esse texto de background.

Antagonistas – São personagens não-jogadores (ou seja, interpretados pelo narrador). O antagonista é o vilão da história, o arqui-inimigo dos protagonistas, aquele a quem devem combater e vencer. A aventura pode ter apenas um antagonista (como na aventura “Epidemia”), um grupo de antagonistas (Aventuras “Zona de Conflito” e “A caçada”), ou até mesmo não ter um antagonista, precisando vencer apenas os obstáculos do ambiente da história (Aventuras “Colonizadores do Brasil”, “Vale dos Montes Uivantes” e “Resgate no Shopping”). Se a sua aventura prevê um ou mais antagonistas, dedique um tempo a mais para a sua criação, tanto quanto para os personagens protagonistas. Dê uma razão para que aquele personagem tenha se tornado o vilão da história. Quais as suas motivações? Porque se tornou naquilo que se apresenta na aventura? Ele tem chances de se regenerar ou é um caso perdido? Faça um texto breve que descreva o antagonista para que você possa interpretá-lo com mais intensidade, nunca esquecendo suas motivações, seus defeitos e qualidades, mesmo que usando-as para o mal.

Personagens secundários:

São personagens que aparecem brevemente na história. Todos eles são interpretados pelo narrador.

Coadjuvantes – São aqueles personagens que surgem para ajudar ou atrapalhar os protagonistas. É o bêbado na taverna que solta uma informação importante ou o homem misterioso que entrega um mapa antigo, o rei que os contrata para resgatar sua filha, os capangas do arqui-inimigo que perseguem os heróis, O monstro que se interpõe entre os protagonistas e o tesouro. Esses personagens não precisam de uma grande elaboração, sendo necessários apenas os dados da ficha de personagem (VT, habilidades, armas ou itens que carregam).

Figurantes – São os personagens que aparecem apenas para encher a cena. Os demais clientes da taverna, os pedestres na rua, etc. Esses personagens não conversam com os protagonistas ou, quando conversam, é algo muito rápido e sem importância. Desse modo, não é necessário pensar em muitos detalhes na elaboração de um figurante. Quando muito, pode-se detalhar trajes, fisionomia e aspectos raciais.

Com isso fechamos esta sequência sobre criação de uma aventura. No próximo post falaremos um pouco sobre o preenchimento da ficha de personagem do nosso sistema de regras. Espero você. Até mais!

 

 

Voltar ao menu Aplicando o RPG na Escola